sexta-feira, 19 de outubro de 2007

NAOMI MATHER

O blues é uma música que nos remete diretamente ao seu berço, os Estados Unidos. Mas, para que o próprio público americano reconhecesse definitivamente o talento e a importância dos seus criadores, o blues cruzou o Atlântico na segunda metade da década de 1950, conquistou o público e os músicos mais jovens no velho mundo, principalmente na Inglaterra, e fez a viagem de volta dentro da bagagem de música negra que os 'invasores' Ingleses carregavam. A imprensa e o grande público resolveu saber onde originou aquele som dos The Yardbirds, The Animals, Rolling Stones, entre outros (só para citar os grupos que fizeram mais sucesso aproveitando a porta escancarada pelos Beatles). Para espanto (e vergonha) de muitos, aquele som era americano. Os heróis dos grupos ingleses não eram conhecidos no seu País o que também lhes causou espanto e indiginação. Depois dos novos músicos e do resgate dos esquecidos, o blues nunca mais foi o mesmo e passou a ter fãs no mundo todo e ser respeitado. Atualmente o blues executado pelos britânicos talvez não tenha tanto destaque quanto naquela época, mas com um pouco de atenção podemos conhecer quem toca e bem o estilo e deverá manter a escrita de que no Reino Unido sempre surgirão jovens talentos quando falamos de blues.
Naomi Mather é um grande exemplo do que citei acima mas não se prende a regras. Toca blues e folk sem se preocupar em parecer purista. Naomi cresceu em uma pequena cidade entre Manchester e Liverpool (sim...a cidade dos Fab Four e ela já tocou no Jacaranda Club!). Vivendo em um lugar que tinha a música sempre em evidência, Naomi começou ainda pequena, tocando um velho piano comprado por seus pais. Ainda na escola ampliou sua experiência ao tocar em diversas bandas e conheceu outros instrumentos. Hoje ela prefere compor e tocar suas músicas na guitarra acústica. Com relação as composições ela diz: “Era uma criança muito quieta, então o modo mais fácil que encontrei de me expressar foi através da música e agora enxergo qualquer situação como uma chance de conseguir inspiração para compor. Boa ou ruim, há sempre uma lição que nós podemos aprender e expressar com música”. Naomi Mather grava e produz seu trabalho em seu estúdio caseiro. Parte desse trabalho você pode conferir nos vídeos abaixo, onde em um deles interpreta "Smokestack Lightnin", do grande Howlin' Wolf.


SMOKESTACK LIGHTNIN'


DEAD MAN HANGING

4 comentários:

Roberto Terremoto BluesMan disse...

Muito bom !!!!

Essa tem video..... rs

Gostei do som dela.

Parabéns pelas descobertas.

Paz e blues,
Terremoto

Wilson disse...

Muito interessante a sua matéria sobre o Blues ter q voltar com europeus para ser redescoberto em seu país.

Wilson disse...

mas a música tem disso: "se faz ouvir!" :)

Marcus Mikhail disse...

Valeu Wilson pelos comentários!

gde abraço

Marcus