quinta-feira, 10 de agosto de 2006

Um pouco de JAMES "SON" THOMAS (1926-1993)

Nascido em 14 de Outubro de 1926 em Éden, Mississipi, James Thomas nunca conheceu seu pai e foi criado por seus avós maternos que passaram a chamá-lo carinhosamente de “Son” (filho), apelido adotado depois quando entrou para o mundo do Blues.
Na juventude, Thomas passou a se interessar muito por música e escultura. Ao mesmo tempo que se desenvolvia tocando blues do Delta, criava esculturas cada vez mais mórbidas, se especializando em esculpir crânios onde utilizava dentes humanos que conseguia com um dentista local (realismo puro !!!).
No Blues suas principais influências foram Tommy McClennan, Big Boy Crudup e Skip James. Começou a freqüentar e mostrar o que sabia nas juke joints de Yazoo City, encontrando normalmente Elmore James e Sonny Boy Williamson. Gravou esporadicamente e se apresentou por todo Sul.
Nos anos 60 foi “descoberto” em Leland, Mississipi, por William Ferris um pesquisador que incluiu Thomas em livros e documentários. Mais tarde essa parceria traria bons resultados, tendo Thomas a oportunidade de gravar várias faixas para diversos selos e participar de festivais.
Uma das mais importantes aparições de “Son” Thomas, foi na sua primeira viagem a Europa em 1981 no American Folk Blues Festival, tendo desfilado várias composições clássicas do Blues do Delta.
Nesse mesmo ano, foi atingido acidentalmente no estômago por um tiro e nos anos seguintes passou a sofrer mais com sua sempre frágil saúde.
Em 1989 apareceu no documentário “Blues” , realizado pelo brasileiro João Moreira Salles onde apresenta sua música e suas esculturas. Em 1991 foi submetido a uma cirurgia para a retirada de um tumor no cérebro. Em Maio de 1993 sofre um derrame e é internado em um hospital de Greenville, Mississipi de onde nunca saiu. Em 26 de Junho sofre uma parada cardíaca e morre aos 66 anos.
Deixou um legado de gravações importantes para o Blues sendo que algumas delas estou postando aqui para aqueles que não o conhecem. As faixas foram retiradas do LP “Mississipi Blues Festival 1986” e do CD da trilha do documentário “Blues: Dor Criada Para Curar a Dor”.
CAIRO BLUES

O poeta negro Sterling Plumpp escreveu sobre Thomas:
“Filho do Mississippi
nativo de genocídios,
oráculo de profecias sombrias"

2 comentários:

Pedro from Argentina disse...

I saw the film 'BLUES' by Moreira Salles in Argentina, my country, many years ago.Wondeful film, have you got it to share(post) please?.

Marcus Mikhail disse...

Hola Pedro,

No tengo esta pelicula en VHS o DVD, uma lastima.
Tengo el cd (soundtrack).

Gracias,

Marcus