sexta-feira, 27 de outubro de 2006

All Aboard !! O Blues e o Trem

Certa vez, utilizando uma linha de trem metropolitano de São Paulo pude escutar no som ambiente muito Blues ! Achei curioso (e muito bom !) viajar ao som de B.B. King, Buddy Guy e outros. Enquanto escutava os mestres e lançava um olhar um pouco perdido para as poluídas águas do Rio Pinheiros, percebi que além do Blues realmente combinar com o trem ao longo da história do gênero, suas tradições se misturam com os caminhos de ferro que direcionam esse meio de transporte. Muitos músicos trabalharam na construção de ferrovias e mais tarde, cansados da vida dura do Sul, partiram pelas estradas que ajudaram a construir, buscando uma melhora de vida ou mesmo o reconhecimento de sua música no famoso e distante Norte dos EUA. Alguns voltavam em pouco tempo com a má sorte lhes apontando a direção, enquanto outros nunca mais voltaram e fizeram história nas grandes cidades. O trem também é um tema comum nas canções. Em alguns momentos significa a esperança, um objetivo a ser alcançado para chegar a um novo lugar, em outros uma ameaça que leva (ou traz) o amigo, a família ou a pessoa amada, tornando-se assim, símbolo de alegrias e tristezas, retornos ou despedidas. Nesse contexto, talvez só as grandes e sinuosas rodovias e estradas americanas são mais citadas nas músicas que o trem. Mas, as mesmas incertezas que habitam a mente do homem que anda na beira da rodovia pedido carona, estão na vida do homem que vê ao sinal de partida da máquina a sua casa ficando para trás. Quando Robert Johnson (1911-1938) canta “When the train, it left the station with two lights on behind, Well, the blue light was my blues and the red light was my mind…” nos mostra o uso de características concretas do trem juntamente com elementos emocionais que são a preocupação e tristeza do abandono. Entre tantas composições que apresentam o trem como tema ou parte do fato narrado, poucas apresentam um apelo tão poético quanto essa “Love in Vain” de Johnson(veja letra abaixo). Além das letras podemos destacar a importância do trem até no estilo de tocar de alguns músicos, como por exemplo Sonny Terry que normalmente imitava trens e seus apitos com sua harmônica. Entre tantas músicas que citam o gigante de ferro, podemos destacar algumas como: Alabama Train (Louisiana Red), All Aboard e Train Fare Home Blues(Muddy Waters), Going Down Slow (Willie Dixon), Train Fare Blues (Sonny Boy Williamson), Santa Fe (Lightnin’ Hopkins), Too Too Train (Big Bill Broonzy), Black Train Blues (Bukka White), Train Whistle Blues e Lonesome Train (Sonny Terry), Big Bear Train (Jimmy Yancey), etc. Com um pouco mais de tempo lembraria e descobriria uma quantidade de músicas tão grande que seria impossível lista-las aqui. Essa é mais uma amostra da influência do trem e suas conseqüências aos bluesmen e suas tradições.
Quando você ver um trem deixando a estação, lembre-se que ele está levando todos os tipos de pessoas, alegres ou tristes, para a diversão ou obrigação. Sendo assim, o trem que você vê sempre leva o Blues...


LOVE IN VAIN (por Robert Johnson – 20/06/1937)



And I followed her to the station, with a suitcase in my hand.
Well, it´s hard to tell, it´s hard to tell
When all your love’s in vain, All my love’s in vain.

When the train rolled up to the station, I looked her in the eye.
Well, I was lonesome, I felt so lonesome
And I could not help but cry. All my love’s in vain.

When the train, it left the station, with two lighs on behind
Well, the blue light was my blues
And the red light was my mind. All my love’s in vain.

Ou-hoo-oo-oo-oo, hoo, Wilie Mae.
Oh-wo-wo-wo-hey, hoo, Wilie Mae.
Ou-oo-o-oo-oo-oo, hee-vee, a woe. All my love’s in vain.

Copyright © 1978 Stephen C. La Vere/King of Spades Music
(letra retirada do livro: Robert Johnson At The Crossroads – The Authoritative Guitar Transcriptions – 1992)

3 comentários:

Snow disse...

Muito legal este tópico e o blog. Parabéns!

Marcus Mikhail disse...

Valeu Snow...vem mais por aí !

JH II disse...

Marcus, parabéns pelo blog. Sobre o texto, achei tão bom que colei ele no meu blog, eu queria ter escrito este texto, (espero que não se importe). Veja Markus, eu já tomei esse trem do blues, assim como você. Muito Obrigado. Estou "linkando" você no meu blog,ok?

Um Abraço, e muito obrigado.

P.S.: Você gostaria de colaborar comigo e postar sobre o blues no meu blog? Se quiser,mande-me um email,ok?

jhdois@gmail.com