segunda-feira, 19 de fevereiro de 2007

JACK OWENS - Bentonia, Mississippi

Muitos músicos nascidos no Mississippi e que tinham certa habilidade em seu instrumento, dificilmente ficavam em sua cidade natal, normalmente um lugar pequeno na zona rural. Migravam definitivamente para o Norte, ou ao menos, viajavam muito pelo Sul dos EUA. Mas Jack Owens não seguiu nenhuma das duas opções. Viveu toda sua vida em sua cidade. Nascido em Bentonia, Mississippi, por volta de 1904 (data incerta, sendo que algumas fontes informam 1902) como L.F. Nelson, ficou conhecido como Owens por ter crescido junto a uma família de mesmo nome. Quanto ao L.F. de seu nome, nem mesmo suas 3 irmãs ainda vivas na época de seu funeral, lembravam o significado. Jack Owens aprendeu cedo os primeiros acordes em um piano, mas a guitarra se tornaria rapidamente seu instrumento principal. Foi um músico que, paralelo ao Blues, realizava festas regadas a 'white whiskey' (bebida que ele mesmo fabricava em casa) e ainda era um pequeno fazendeiro que criava porcos e galinhas. As festas eram realizadas na sala de estar de sua pequena casa. Os móveis eram retirados e ele vendia churrasco e bebida através de uma abertura na parede de sua cozinha. Músicos da região como Skip James (que realizou gravações históricas em 1931) e Henry Stuckey se apresentavam no local e muitas vezes eram ajudados por Owens com sua marcação forte nos pés e uma linha de baixo feita com o polegar em seu violão. Muito querido e conhecido na comunidade, nunca sentiu desejo de deixar a cidade e buscar a fama. Em 1966, o musicólogo David Evans ao entrevistar outro músico de Bentonia, Cornelius Bright, soube da existência de Jack Owens e na mesma noite em que o conheceu, começou a gravar sua descoberta. Ficou encantado com seu estilo único de tocar e cantar. Desde então Evans foi registrando sempre que podia, um dos mais fortes 'links' sobreviventes da raiz da música americana. Owens apareceu em várias coletâneas, as vezes acompanhado de Bud Spires na harmônica. Trinta anos depois David Evans declarou que o estilo de Jack ainda era "um dos mais complexos já desenvolvidos na forte tradição folk". Participou do documentário Blues: Dor Criada Para Curar a Dor, do brasileiro João Moreira Sales em 1990. Por volta de 1996, Owens foi convidado a se apresentar na Holanda. No dia de viajar Owens foi encontrado vestindo uma antiga e pesada roupa de inverno semelhante a de caçadores, pois alguém o teria dito para se prevenir do frio europeu. Mas o mais interessante foi quando passou pelo detector de metais do aeroporto: encontraram uma arma muito velha de fabricação caseira nas botas de Owens. Sem ela, disse que não viajava ! Muito tempo depois foi convencido de deixar o artefato e pegá-lo na volta da viagem. Eram os hábitos de um homem simples deixando pela primeira vez sua terra. Em seu retorno, participou do tradicional Bentonia Blues Festival.
Jack Owens morreu pouco depois em 9 de Fevereiro de 1997, em um hospital de Yazoo City. Quatro dias depois em seu funeral, Bentonia se despedia de Jack Owens, aquele que nunca se despediu de Bentonia.
HARD TIMES KILLING FLOOR (1989)

13 comentários:

Anônimo disse...

Thank you for this latest posting. I have been a fan of Mississippi Delta and northern hill country blues for over 40 years and this is the first time I have seen anyone upload Jack Owens in a music blog. What a treat since I don't have this CD.

There is also another album by Jack Owens entitled "It Must Have Been The Devil:Mississippi Country Blues". It was put out by Testament Records and the catalogue number is TCD 5016. If like skip James you will also like this CD.

Incidentally, Jack Owens was featured in a great 1991 documentry called "Deep Blues: A Musical Pilgrimage To The Crossroads". This DVD also has live performances by R.L.Burnside, Junior Kimbrough, Jesse Mae Hemphil, Big Jack Johnson and several other Mississippi blues musicians including Lonnie Pitchford...now dead, but who was a true keeper of Mississippi roots blues.

The only CD I know of by Lonnie Pichford was released in 1994 by Rooster Records of Clarksdale Miss. I do not think it is any longer available ( I have seen used copies of this CD selling for over $100.00.

If I ever figure out how to upload music I will gladily share the Jack Owens and Lonnie Pitchford albums with you. Once again,thank you.

Cheers fron Canada

Rob

Marcus Mikhail disse...

Hi Rob,

Thanks for your words...
Sure, I wanna hear another Owens records and Pitchford recordings !!
I need to know how upload files ? ok ... Í don´t write a good english but I´ll try to help you, ok ?
Please, send me a e-mail on marcusmikhail@gmail.com to talk about it.

Thanks again !!

Marcus Mikhail

Little Thin Jones disse...

Que história massa! Quanto mais eu conheço sobre o blues, mais ele me fascina. Ótima história mesmo. Vou baixar o disco e ouvir. Valew Marcão!

Marcus Mikhail disse...

Valeu vc Thin por prestigiar o BLues Masters !!

Nix disse...

Eu adoro o Owens, mas infelizmente ele não é o cara mais versátil do mundo, né? Daquele documentário do João os meus preferidos são: o Owens, o Sunnyland e o Son Thomas.
Por falar nisso, já subi o disco do Son Thomas. Já já faço o post.

Nix disse...

Ficou pronta a bio do Son Thomas. É só passar no blog. Valeoz! :)

Marcus Mikhail disse...

Valeu Nix..vou ver o post !!

um abraço

Caminador disse...

Excelente blog.
Saludos

Eduardo disse...

Parabéns pelo ótimo e bem cuidado blog. Pendurei, ops, linkei no meu VARAL. Abçs.

Marcus Mikhail disse...

Valeu Eduardo... estou com pouco tempo para publicar novos posts, mas em breve terei novidades !

um abraço

Marcus Mikhail

D'Noronha disse...

Que escola de blues...
Lendo, ouvindo e aprendendo.

Abração.

D'Noronha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
fernando disse...

teu blog tá cada vez melhor meu velho.
forte abraço